05 maiores erros de comunicação das empresas de agronegócio


erro

Por Rodrigo Capella*

Trabalho com comunicação para agronegócio desde 2004 e já atendi empresas de diversos segmentos, como nutrição animal, nutrição vegetal, saúde animal, tecnologias para máquinas agrícolas e equipamentos para pulverização, entre outros.

Nos últimos anos, tenho acompanhado as empresas do setor investirem, cada vez mais, em ações de comunicação.

Como consequência direta, muitas companhias têm ampliado a visibilidade, incrementado as vendas e aumentado a participação de mercado. Já outras empresas de agronegócio insistem em cometer os mesmos erros, afetando diretamente a lucratividade.

A seguir apresento os cinco maiores erros de comunicação das empresas de agronegócio:

1) Não calcular o ROI das ações de comunicação

Com ferramentas e técnicas adequadas, pode-se calcular o retorno do investimento (ROI) de toda ação de comunicação realizada. “Quanto foi investido e qual foi o retorno financeiro para a empresa de agronegócio que fez o investimento?”. Essa é a pergunta que precisa ser respondida, com argumentos claros e precisos.

Assessoria de imprensa, consultoria de comunicação, redes sociais, comunicação interna, marketing de conteúdo e marketing de resultado são algumas das ações de comunicação que precisam, a todo instante, ser mensuradas.

Quando se mensura o ROI, tende-se o real impacto das ações de comunicação, o que contribui para que elas sejam ainda mais assertivas.

2) Apostar somente em feiras 

O agropecuarista busca informações em diversos canais, não somente em feiras. Portanto, a empresa de agronegócio que não investir em ações de comunicação diversas irá perder oportunidades claras de negócios.
Com base em um planejamento estratégico, é possível definir ações que irão contribuir diretamente para a empresa ganhar destaque no mercado e superar os concorrentes.

3) Adotar linguagem excessivamente técnica

As informações excessivamente técnicas perdem, cada vez mais, o alcance. Com a mudança de perfil, o agropecuarista busca conteúdo de rápida leitura, como dicas, análises e orientações.
Estas informações irão contribuir, diretamente, para que eles tenham uma melhor produtividade e um incremento na rentabilidade.

4) Não valorizar o potencial do ambiente online

Aplicativos, Redes Sociais, Newsletters e Blogs. O agropecuarista consome conteúdo de diversos canais, incluindo estes do ambiente online.

Desta forma, para se comunicar sem desperdiçar recursos, a empresa de agronegócio precisa ter um diagnóstico de comunicação para, somente depois, traçar as melhores estratégias.

5) Não ter ferramentas para dar real suporte à força de vendas

A força de vendas da empresa de agronegócio precisa ter ferramentas que calculem, com exatidão, em quanto tempo o agropecuarista terá o retorno do investimento realizado para a compra de determinado produto (fertilizante, suplemento, tronco, balança e medicamento, entre outros) ou de determinada máquina (pulverizador, trator etc).
Ao realizar cálculos com estas ferramentas, a força de vendas terá ainda mais argumentos junto aos agropecuaristas, diferenciando-se da concorrência.

Obs: artigo publicado originalmente no Agrolink.

(*) Rodrigo Capella é Diretor da Ação Estratégica, empresa com ampla experiência em comunicação para agronegócio. E-mail: capella@acaoestrategica.com.br

Anúncios

Sobre Rodrigo Capella

Diretor Geral da Ação Estratégica, Assessor de Imprensa e Estudioso da Comunicação Digital, Rodrigo Capella já ministrou, desde 2008, mais de 350 palestras e cursos em eventos, associações, empresas e universidades, como Banco do Brasil, Novartis, Rotary Club, ESPM, FMU, Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo, Sindicato dos Jornalistas do Estado do Pará, Congresso Internacional para Líderes da Comunicação, Social Media Vale do Paraíba e Seminário “Mídias Digitais e Transformação Social”, realizado em Aracaju pelo Governo de Sergipe. Além disso, o profissional foi professor de Comunicação Digital da pós-graduação da PUC-PR, da UNA-BH e da Universidade Anhembi Morumbi-SP. Capella é também autor de diversos livros, como “Assessor de Imprensa: fonte qualificada para uma boa notícia” e de “Rir ou Chorar”, biografia do cineasta Ricardo Pinto e Silva coordenada por Rubens Ewald Filho. E-mail: capella.rodrigo@gmail.com
Esse post foi publicado em artigo e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s