Inês Castelo, diretora da Tree Comunicação (Brasil)


“Parte da imprensa acompanha fanpages e Twitter  de agências.  É algo novo, claro, mas este é um movimento natural e que deve ganhar força”.

A aposta é de Inês Castelo, diretora da Tree Comunicação.

Ao blog PR Interview, a executiva comentou também sobre projetos desenvolvidos no Facebook e sobre relacionamento com a mídia financeira.

Acompanhe os principais trechos da entrevista:

PR Interview: A imprensa realmente acompanha as redes sociais de agências?

Inês Castelo: Parte da imprensa acompanha fanpages e Twitter  de agências.  É algo novo, claro, mas este é um movimento natural e que deve ganhar força. Faz parte do dia a dia dos profissionais de comunicação buscar informações por meio de canais oficiais ou não. Logo, fanpages, assim como site e outros meios, são e serão buscados.

PR Interview: Para quais clientes vocês já marcaram entrevistas via redes sociais?

Inês Castelo: Vou te dar um exemplo. Agendamos via rede social uma entrevista com uma fonte do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos para uma jornalista do O Estado de S. Paulo. O tema era os cuidados e higiene com o bebê.

Facebook: página do Edmundo Vasconcelos

PR Interview: Falando agora especificamente do Facebook, quais outras ações vocês já desenvolveram para o Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos?

Inês Castelo: A proposta inicial da criação fanpage do hospital previa a geração de conteúdo de interesse público na área de saúde, isto é, informação de credibilidade sobre tratamento, diagnóstico e prevenção de doenças, além de temas ligados à qualidade de vida. Iniciamos com posts de textos e fotos, depois começamos a introduzir pequenas vídeo reportagens – a maioria delas produzidos pela própria Tree. Sugerimos então a criação de abas especiais e a introdução de um serviço que já existia no site: marcação de consulta online. Até onde sabemos o hospital foi a primeira instituição de saúde a colocar no ambiente do Facebook um aplicativo para marcação de consultas.

PR Interview: Qual outro case do Facebook você poderia contar?

Inês Castelo: Outro exemplo interessante é o da corretora Spinelli, que criou e implantou aplicativo de acesso ao Home Broker da corretora via Facebook. Provocamos pautas na grande imprensa, para dar conhecimento e intensificar o acesso ao aplicativo e, ao mesmo tempo, colaborar para os resultados do serviço.

PR Interview: Para finalizar, dentro do relacionamento com a mídia financeira, quais trabalhos vocês desenvolvem?

Inês Castelo: Os trabalhos ligados a mudanças relevantes nas companhias, como fusões, aquisições, abertura de capital, internacionalização, alterações societárias, sucessões e afins. Por questão de confidencialidade, não podemos informar nomes, mas temos uma experiência vasta em apoiar as empresas em toda a comunicação em momentos de transição como estes. Nestes casos, o relacionamento com a mídia financeira deve ser marcado pela clareza, o que exige planejamento, capacidade de entendimento do contexto, conhecimento técnico e confiabilidade. Nestes momentos também é essencial que todas as mensagens sejam coesas. O que é dito aos investidores deve ter coerência com a mensagem que chega a mídia financeira ou não, aos funcionários, fornecedores, clientes e todos os demais stakeholders. Quando falamos especificamente em aberturas de capital, muitas vezes somos demandadas a ajudar as empresas a desenvolver uma cultura de companhia aberta. Isso exige uma nova visão, algo que demanda tempo para ocorrer, e também novos processos, como a produção de relatórios anuais – serviço do nosso portfólio.

Sobre Rodrigo Capella

Diretor da Pólvora PR, Assessor de Imprensa e Estudioso da Comunicação Digital, Rodrigo Capella já ministrou, desde 2008, mais de 350 palestras e cursos em eventos, associações, empresas e universidades, como Banco do Brasil, Novartis, Rotary Club, ESPM, FMU, Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo, Sindicato dos Jornalistas do Estado do Pará, Congresso Internacional para Líderes da Comunicação, Social Media Vale do Paraíba e Seminário “Mídias Digitais e Transformação Social”, realizado em Aracaju pelo Governo de Sergipe. Além disso, o profissional foi professor de Comunicação Digital da pós-graduação da PUC-PR, da UNA-BH e da Universidade Anhembi Morumbi-SP. Capella é também autor de diversos livros, como “Assessor de Imprensa: fonte qualificada para uma boa notícia” e de “Rir ou Chorar”, biografia do cineasta Ricardo Pinto e Silva coordenada por Rubens Ewald Filho. E-mail: capella.rodrigo@gmail.com
Esse post foi publicado em Entrevista e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Inês Castelo, diretora da Tree Comunicação (Brasil)

  1. Rafaela, concordo contigo! Ótimas pautas podem surgir nas redes sociais. Abs. Capella.

  2. Concordo com a projeção da Inês Castello. Os jornalistas, desde o advento da internet, estão cada vez mais buscando informações através do mundo virtual e isso independe de ser através de um site ou rede social. Acho que através das redes sociais podem surgir debates e comentários muito interessantes e que podem surgir pautas bacanas e importantes.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s