Michael Frohlich, da Resonate (Reino Unido)


Explicar o projeto em menos de 100 palavras ou contá-lo a alguém em 30 segundos ou menos. Esta é, na opinião de Michael Frohlich, managing director da Resonate Communications, parte da receita para quem quer ganhar um prêmio internacional na área de comunicação e PR.

A agência, uma principais do Reino Unido, venceu o Gold PR Lion em 2009 e é conhecida mundialmente por sua mecânica de trabalho, apelidada de bom barulho

Michael Frohlich, da Resonate

“A profissão de PR está totalmente focada nas pessoas. Então, minha equipe produz “bom ruído” durante todo o dia. São várias as ocasiões, como, por exemplo, quando falam com jornalistas, quando criam boas histórias ou quando estão perto do escritório”, explica Frohlich.

Acompanhe a seguir os principais trechos da entrevista:

PR Interview: Qual o segredo para ganhar um Gold PR Lion?

Michael Frohlich: A ação precisa ser inteligente em sua criatividade, além de entregar e produzir (ou exceder) o que foi estabelecido. Pessoalmente, acho que a mais simples ideia é a melhor. Se você pode explicar um projeto em menos de 100 palavras ou contá-lo a alguém em 30 segundos ou menos, então metade da batalha está ganha.

PR Interview: Na Resonate, vocês trabalham com um interessante conceito, chamado “bom barulho”. Como ele realmente funciona no dia a dia?

Michael Frohlich: É bastante simples. Trata-se de um bom ruído, ao invés de qualquer outro tipo de barulho. No mundo caótico em que vivemos, a única maneira de ser notado é ser absolutamente relevante para o público. Para estas pessoas, trata-se de um “bom barulho”, já que este é o ruído que querem ouvir e também transmitir.

PR Interview: Quais os principais diferenciais da sua equipe, conhecida como “fazedores de barulho”?

Michael Frohlich: A profissão de PR está totalmente focada nas pessoas. Então, minha equipe produz “bom ruído” durante todo o dia. São várias as ocasiões, como, por exemplo, quando falam com jornalistas, quando criam boas histórias ou quando estão perto do escritório.

PR Interview: Em uma agência de comunicação, é realmente fundamental o assessor de imprensa fazer barulho?

Michael Frohlich: Muitas vezes, eu tenho que, infelizmente, silenciar histórias de clientes, o chamado “mau barulho”. Isso é ruim e realmente  desconfortável. Como a minha equipe está focada, principalmente, em uma relação pró-ativa com os consumidores, nosso trabalho é sempre direcionado a criar um “bom barulho”.

PR Interview: Para finalizar, como fazer bom barulho na social media?

Michael Frohlich: A beleza da social media é o poder que os indivíduos têm para fazer barulho, serem escutados e criarem uma dinâmica para fazer a diferença. Portanto, nossa tarefa é encontrar os gatilhos para começar a compartilhar mensagens.

NO PRÓXIMO POST:

Entrevista com Maristela Mafei, da Máquina Public Relations (Brasil)   

Bookmark and Share

Sobre Rodrigo Capella

Diretor da Pólvora PR, Assessor de Imprensa e Estudioso da Comunicação Digital, Rodrigo Capella já ministrou, desde 2008, mais de 350 palestras e cursos em eventos, associações, empresas e universidades, como Banco do Brasil, Novartis, Rotary Club, ESPM, FMU, Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo, Sindicato dos Jornalistas do Estado do Pará, Congresso Internacional para Líderes da Comunicação, Social Media Vale do Paraíba e Seminário “Mídias Digitais e Transformação Social”, realizado em Aracaju pelo Governo de Sergipe. Além disso, o profissional foi professor de Comunicação Digital da pós-graduação da PUC-PR, da UNA-BH e da Universidade Anhembi Morumbi-SP. Capella é também autor de diversos livros, como “Assessor de Imprensa: fonte qualificada para uma boa notícia” e de “Rir ou Chorar”, biografia do cineasta Ricardo Pinto e Silva coordenada por Rubens Ewald Filho. E-mail: capella.rodrigo@gmail.com
Esse post foi publicado em Entrevista e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Michael Frohlich, da Resonate (Reino Unido)

  1. Camila, muito obrigado pela visita e pelo comentário. Dia 15, teremos nova entrevista no blog. Abs, Rodrigo Capella.

  2. A matéria é interessante. Mas o posicionamento da Marca é preocupante, principalmente em se tratando de construção de Marca e essência da Marca.
    Construir uma Marca com base em um atributo popularmente negativo não é bom.
    Popularmente não é possível existir um “ruído” ou “barulho” bom. Um “som” sim.
    Existem muitas empresas falando de marca e reputação, mas a coerência não prevalece nem mesmo para elas. Não é um crítica pejorativa, mas um panorama da realidade de nosso mercado.
    Camila Andrade
    Diretora Executiva
    Pórthia Assessoria de Comunicação

  3. Juliano, muito obrigado pela visita. Abs, Capella.

  4. Juliano Melo disse:

    Muito boa a entrevista! Parabéns Capella.

  5. Pingback: Tweets that mention Michael Frohlich, da Resonate (Reino Unido) « PR interview -- Topsy.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s