Rodrigo Saraiva, da NextPower (Portugal)




Rodrigo Saraiva, editor do blog PiaR e um dos consultores de comunicação mais respeitados de Portugal (trabalha atualmente na NextPower), defende que o perfil no Twitter deve – sem contar RTs e DMs – ter um número limitado de mensagens por dia. “Desta forma, o perfil não fica chato, ou seja, não parece spam”.

Ao PR Interview, o especialista declarou também que muitas empresas ainda cometem erros básicos nas redes sociais. “No Facebook, ainda se assiste a muitas marcas e entidades criarem perfis em vez de páginas oficiais”, exemplifica.

O avatar do blogueiro e consultor de comunicação Rodrigo Saraiva

Acompanhe a seguir os principais pontos desta entrevista:

PR Interview: Como estão estruturadas as assessorias de imprensa em Portugal?

Rodrigo Saraiva: Não podemos dizer que em Portugal exista um modelo standard de funcionamento das agências/consultoras. Algumas têm optado por seguir o modelo das multinacionais, com áreas especializadas. Mas, a maioria das agências é polivalente, assim como os seus profissionais.

PR Interview: E como é o trabalho do assessor de imprensa?

Rodrigo Saraiva: As agências de assessoria de imprensa de Portugal começam a conquistar um espaço que vai além da assessoria, tornando-se agências consultoras, com uma dimensão crítica relevante. Neste contexto, os profissionais trabalham no modelo “dois em um”, ou seja, como assessores e consultores, demonstrando pró-atividade e não se limitando somente ao repasse de informações.

PR Interview: Esta pró-atividade contempla a atuação nos blogs?

Rodrigo Saraiva: Qualquer profissional de comunicação que queira prestar o melhor e mais atual serviço a seus clientes precisa contemplar em suas estratégias os blogs e novas mídias. Isso porque pesquisas indicam que as pessoas passam cada vez mais tempo na Internet, seja para procurar ou compartilhar informação. Qualquer pessoa é hoje em dia um formador de opinião. Em Portugal, temos um interessante fenômeno em que muitos dos colunistas e jornalistas da imprensa escrita tradicional têm presença em blogs e redes sociais.

PR Interview: O que muda no trabalho diário do assessor?

Rodrigo Saraiva: Temos um novo mundo nos canais de comunicação. Uma estratégia pode ser feita somente com base na social media ou pode integrar também o novo (PR 2.0) e o velho mundo (PR Tradicional). Neste contexto, as novas plataformas são um desafio permanente. Para atuar nelas, é preciso estudar bem as regras para não se cometer erros básicos. Um exemplo: no Facebook, ainda se assiste a muitas marcas e entidades criarem perfis em vez de páginas oficiais. Este caminho é equivocado por duas razões. Primeira: vai contra as regras do próprio Facebook, no qual o perfil é apenas para pessoas. Para que as marcas, instituições e outros, como museus, por exemplo, atuem no Facebook foram criadas as páginas. Segundo: os perfis são limitados a 5.000 amigos e qualquer empresa ambiciona se relacionar com um número maior de pessoas. Em relação ao Twitter e também ao Facebook, um outro ponto interessante  é estabelecer – sem contar RTs e DMs – um número máximo de mensagens por dia para não passar a ser um perfil “chato”, ou seja, quase spam. Pode-se, por exemplo, enviar duas mensagens de manhã e duas à tarde. É lógico que, eventualmente, este limite pode ser ultrapassado. Afinal, a principal regra nas midia sociais é mesmo o bom-senso! Sem ele, fica tudo aberto para dar erro.

PR Interview: Para finalizar, qual case de Portugal merece ser destacado?

Rodrigo Saraiva: Dos cases de social media, eu gosto bastante do projeto “7 maravilhas naturais de Portugal”. A página oficial no Facebook conta com mais de 60.000 fãs e aproximadamente 1.600 fotografias publicadas pelos participantes. Um verdadeiro case de consumer generated, no qual os fãs assumiram o papel de produtor de conteúdo.

NO PRÓXIMO POST:

Entrevista com Mario Humberg, da CL-A Comunicações (Brasil)

Bookmark and Share

Sobre Rodrigo Capella

Diretor da Pólvora PR, Assessor de Imprensa e Estudioso da Comunicação Digital, Rodrigo Capella já ministrou, desde 2008, mais de 350 palestras e cursos em eventos, associações, empresas e universidades, como Banco do Brasil, Novartis, Rotary Club, ESPM, FMU, Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo, Sindicato dos Jornalistas do Estado do Pará, Congresso Internacional para Líderes da Comunicação, Social Media Vale do Paraíba e Seminário “Mídias Digitais e Transformação Social”, realizado em Aracaju pelo Governo de Sergipe. Além disso, o profissional foi professor de Comunicação Digital da pós-graduação da PUC-PR, da UNA-BH e da Universidade Anhembi Morumbi-SP. Capella é também autor de diversos livros, como “Assessor de Imprensa: fonte qualificada para uma boa notícia” e de “Rir ou Chorar”, biografia do cineasta Ricardo Pinto e Silva coordenada por Rubens Ewald Filho. E-mail: capella.rodrigo@gmail.com
Esse post foi publicado em Entrevista e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s