Deborah Jacob, da Hill & Knowlton (Brasil)




 

Moçambique, China, Estados Unidos e Inglaterra. Estes são apenas alguns dos países onde Deborah Jacob, diretora-executiva da Hill & Knowlton, organizou eventos e participou de coletivas de imprensa. De volta ao Brasil, ela trouxe na bagagem muitas histórias curiosas.

“Foram ótimos exemplos para compreendermos ainda mais a realidade de outros países. Entender a cultura e se adaptar são práticas fundamentais para realizar um trabalho comunicacional de sucesso em todo o mundo”, defende a executiva.

 

Deborah Jacob, da Hill & Knowlton

Ao PR Interview, Deborah, que está há dez anos na agência, revelou que alguns clientes ainda são resistentes a essas características locais e tentam padronizar práticas. “Nosso trabalho é justamente orientar e explicar as variáveis, traçando o melhor planejamento de acordo com as necessidades e possibilidades de cada um dos países”, pontua a diretora da Hill & Knowlton, agência que edita o blog ComuniHKa.

Acompanhe a seguir alguns trechos da entrevista, realizada em São Paulo, no Octavio Café:

PR Interview: Quais dicas você dá para quem quer realizar um evento no exterior?  

Deborah Jacob: É preciso, inicialmente, compreender a cultura e a realidade local, adaptando projetos e ações. Marcas estão, cada vez mais, se globalizando e devem agir com muita estratégia e preparo. As diferenças de cada um dos países devem, a todo instante, ser respeitadas.

PR Interview: Os clientes estão cientes destas necessidades?

Deborah Jacob: Algumas empresas ainda são resistentes às características locais e tentam padronizar práticas. Mas, nosso trabalho é justamente orientar e explicar as variáveis, traçando o melhor planejamento de acordo com as necessidades e possibilidades de cada um dos países

PR Interview: Focando agora nas curiosidades, qual história te marcou sobre sua passagem na África?

Deborah Jacob: Em Moçambique, estávamos definindo a programação de um evento, que duraria, no máximo, uma manhã. Mas, a ação acabou se estendendo por algum tempo mais. O motivo: neste país, como faríamos o lançamento da pedra fundamental, havia a necessidade da presença de um líder religioso específico para abençoar o solo. Desta forma, tivemos que adequar a programação em função da agenda deste líder e não dos diretores da empresa.

PR Interview: Indo agora para a China, o que te surpreendeu lá?

Deborah Jacob: Há muitas diferenças culturais entre China e nosso país. Mas, vou te contar dois fatos curiosos. No Brasil, é muito comum realizarmos os eventos com tradução simultânea. Já na China, a cultura é diferente. Eles preferem a tradução consecutiva, pois conseguem compreender melhor as informações. Outro fato curioso ocorreu quando eu e Sheila Magri, também diretora da agência, íamos realizar uma conference call com executivos chineses. Antes da reunião se iniciar, tivemos que ser apresentadas por alguém da Hill & Knowlton com cargo superior e sexo masculino. Se isso não fosse feito, não poderíamos participar da conference call.

PR Interview: Para finalizar, vamos falar do Japão. Qual particularidade deste país você pode revelar?

Deborah Jacob: Estávamos com um projeto no Japão e eu optei por analisar quais profissionais estavam envolvidos. Descobri, então, que a gerente geral do escritório de lá tinha muito mais horas de trabalho na planilha do que os estagiários. Ao questionar, fui informada de que, no Japão, por questões culturais, um profissional do mesmo nível do editor de um jornal, por exemplo, tem de fazer o convite para ele ir a um evento.

LEIA NO PRÓXIMO POST:

Entrevista com Bob Pickard, presidente da Burson-Marsteller Ásia-Pacífico.  

Bookmark and Share

Sobre Rodrigo Capella

Diretor da Pólvora PR, Assessor de Imprensa e Estudioso da Comunicação Digital, Rodrigo Capella já ministrou, desde 2008, mais de 350 palestras e cursos em eventos, associações, empresas e universidades, como Banco do Brasil, Novartis, Rotary Club, ESPM, FMU, Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo, Sindicato dos Jornalistas do Estado do Pará, Congresso Internacional para Líderes da Comunicação, Social Media Vale do Paraíba e Seminário “Mídias Digitais e Transformação Social”, realizado em Aracaju pelo Governo de Sergipe. Além disso, o profissional foi professor de Comunicação Digital da pós-graduação da PUC-PR, da UNA-BH e da Universidade Anhembi Morumbi-SP. Capella é também autor de diversos livros, como “Assessor de Imprensa: fonte qualificada para uma boa notícia” e de “Rir ou Chorar”, biografia do cineasta Ricardo Pinto e Silva coordenada por Rubens Ewald Filho. E-mail: capella.rodrigo@gmail.com
Esse post foi publicado em Entrevista e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Deborah Jacob, da Hill & Knowlton (Brasil)

  1. Aline,

    muito obrigado pela visita.

    Abs, Rodrigo Capella.

  2. Aline Cruz disse:

    Acredito que esse trabalho de identificação cultural deve ir muito além de eventos em outros países, sendo também necessário no Brasil, por exemplo, que tem muitas particularidades de uma região para outra. Gostei muito das curiosidades citadas pela Deborah. Ótima entrevista!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s